| Login | Crie o seu Jornal Online FREE!

Boletim ECOLÓGICO Online
Desde: 02/02/2010      Publicadas: 90      Atualização: 24/02/2016

Capa |  Pró-Fundação Sabor Natureza  |  Carváo Náo  |  Clima  |  ECOLÓGICO Notícias  |  ECOTV  |  Entrevistas  |  Mobilidade  |  Mundo  |  Opinião  |  País  |  RádioECO  |  Reportagens  |  ViVerdeBambu


 País

  25/01/2011
  0 comentário(s)


A Regulamentação da Política Nacional de Resíduos Sólidos está em vigor e não pode passar despercebida. Análise Parte I

Nesta segunda parte deste esforço de desnudar a regulamentação da Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS), forçosamente teremos que, antes de apresentar outros comentários, reforçar alguns anteriores.
Tocamos anteriormente, mesmo que de forma superficial para um estudo jurídico do decreto 7.404/2010 " até mesmo, pelo fato de não ser a proposta.

A discussão que nos propomos apresentar, deve ser mais realista e prática, alertando quanto à importância da legislação, seus reflexos cotidianos e a busca da conformidade legal. Desta forma, reiteraremos o instrumento basilar para estruturação dos conceitos trazidos pela PNRS " O Acordo Setorial
Com base nos acordos setoriais, que descenderão a implantação da responsabilidade compartilhada pelo ciclo de vida do produto e a logística reversa. A logística reversa implementada por meio de acordo setorial, possui duas fontes de iniciação: poderá ser por iniciada pelo Poder Público ou pelos fabricantes, importadores, distribuidores ou comerciantes. Esta assertiva, embora comentada na primeira análise já publicada, necessita ser precedido dos chamados "editais de chamamento" conforme inteligência dos artigos 18, 19 e 20 do decreto.
A questão que merece uma contundente observação, no tocante ao acordo setorial, é deixar claro que, àqueles "steakholders" que se sentirem convictos de seu comprometimento, preparem seu acordo setorial de forma consistente com total observância dos requisitos normativos do decreto, para posterior protocolo junto ao Ministério do Meio Ambiente.
Para que os acordos setoriais tenham força e gozem de comprometimento das partes, precisarão ser bem discutidos e, preferencialmente, de amplitude significativa, envolvendo a sociedade. Também, não se pode esquecer que existe a intenção de inclusão social na política. Pelo lado econômico, sinceramente, para grandes empreendimentos a lei obriga que o empreendedor faça uma opção. Ou ele reduz, reusa e recicla, reconhece o valor econômico do resíduo ou integra as cooperativas de catadores de materiais reciclados. Claro que cada caso deve ser estudado individualmente, para se escolher a melhor opção sob o aspecto da viabilidade econômica.
Esta opção pela inclusão dos catadores nos parece mais afeta aos planos municipais de gestão integrada de resíduos sólidos, os empreendimentos de menor porte e aqueles que concluírem pela inviabilidade econômica ou operacional, em função do porte do empreendimento ou volume gerado.
Seguindo a nossa trilha, a recuperação energética está sendo contemplada pela PNRS. Aliás, um caminho tecnológico muito apropriado para este momento de carência de energia atual e futura, além da necessidade de redução dos lixões, aterros controlados e aterros sanitários, a dificuldade de identificação de novos espaços e o enorme passivo ambiental que se cria. Os Ministérios das Minas e Energia, das Cidades e do Meio Ambiente serão os disciplinadores destes empreendimentos. Relembrando que o aproveitamento energético dos gases dos aterros são coisas bem distintas. Aproveitamento do gás pode ser entendido como a geração de energia pelas próprias carências tecnologias do passado e a geração energética dos resíduos como a solução tecnológica do presente e futuro.
A regulamentação prevê regras para criação do Plano Nacional de Resíduos Sólidos em até 180 dias, após da publicação do decreto, que será construído pelo Ministério do Meio Ambiente, precedido de consultas públicas, para, posteriormente, ser remetido à Presidência da Republica que, através de novo decreto o aprovará. Planos estaduais e municipais com sua formatação adequada estão dispostos no dec. 7.404/2010. Estes planos deverão estar integrados aos planos de saneamento e a legislação de regência.
Sistema de informação, resíduos perigosos, novas atribuições do IBAMA estão adequadamente explicitados. Contudo, são muitos detalhes trazidos pela PNRS, e por isto, será importante que os empreendimentos estejam atentos, formem grupos multidisciplinares internos e externos, sejam acompanhados por orientação profissional especializada para um "checklist" na obtenção da conformidade legal.
Na próxima e última parte trataremos dos aspectos econômicos e financeiros, acesso a créditos públicos, pré-requisitos e penalidades.



  Mais notícias da seção Legislação no caderno País
21/01/2016 - Legislação - Justiça prorroga prazo para Samarco pagar indenização por danos socioambientais
O desembargador federal Néviton Guedes, do Tribunal Regional Federal da 1ª Região, estendeu em 15 dias o prazo para o depósito da primeira parcela da indenização a ser paga pela Samarco e suas controladoras, a Vale e a BHP Billiton, pelo rompimento da barragem de Fundão, em Mariana (MG). O prazo final para o pagamento, previsto na ação civil públi...
15/01/2016 - Legislação - Justiça suspende licença de operação de Belo Monte
A Justiça Federal de Altamira, no sudeste do estado, determinou nesta quinta-feira (14), a suspensão da licença de operação da usina de Belo Monte até que a Norte Energia SA e o governo brasileiro cumpram a obrigação de reestruturar a Fundação Nacional do Índio (Funai), na região que atenderia os índios impactados pelo projeto. Segundo o Ministério...
20/01/2011 - Legislação - Ministra do Meio Ambiente pretende alterar Código Florestal
Para tentar evitar o risco de tragédias urbanas, como as que aconteceram na semana no Rio de Janeiro, o Ministério do Meio Ambiente (MMA) vai propor mudanças no texto, que está em discussão no Congresso, apresentando pelo deputado Aldo Rebelo que modifica o Código Florestal. As informações são do jornal Folha de São Paulo....
17/01/2011 - Legislação - Mudanças no Código Florestal aumentam os riscos de tragédias naturais
As alterações no Código Florestal Brasileiro, propostas pelo deputado Aldo Rebelo (PCdoB), podem ampliar as ocupações de áreas sujeitas a tragédias em zonas urbanas. O texto em tramitação no Congresso deixa de considerar topos de morros como Áreas de Preservação Permanente (APPs) e libera a construção de habitações em encostas. As informações são...
12/01/2011 - Legislação - Telhado Verde pode ser obrigatório por lei em São Paulo
Segundo a proponente, o aumento da fração de área vegetada em regiões fortemente urbanizadas ampliaria a extensão das superfícies de evaporação e de evapotranspiração....
08/09/2010 - Legislação - Queimadas levam governo a decretar emergência ambiental em 14 estados
O Ministério do Meio Ambiente decretou estado de emergência ambiental em 14 estados e no Distrito Federal (DF) por causa do grande número de focos de queimadas. Estão na lista os estados do Amapá, Amazonas, Ceará, Maranhão, de Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Rondônia, Roraima, do Pará, Piauí, Tocantins, da Bahia e de Goiás e Minas Gerais....



Capa |  Pró-Fundação Sabor Natureza  |  Carváo Náo  |  Clima  |  ECOLÓGICO Notícias  |  ECOTV  |  Entrevistas  |  Mobilidade  |  Mundo  |  Opinião  |  País  |  RádioECO  |  Reportagens  |  ViVerdeBambu
Busca em

  
90 Notícias


ECOdicas
 

Oncologia

 

Erva daninha pode curar câncer de pele

 

RádioECO

 

A Solidariedade Toca Aqui...

 

Parceiros

 

Trisãmya Alimentos Naturais e Plantas Medicinais


ECOLÓGICO Notícias
 

Alternativas & Inovações

 

Mobilização da sociedade e apoio internacional podem recuperar o Rio Tubarão

 

Alternativas & Inovações

 

Recuperação das águas, saneamento e matas ciliares, Fundação Biosfera poderá apontar soluções

 

Pesquisa

 

Mortandade no Sinos: análise aponta produtos agroquímicos na água

 

Eventos

 

Abertura da Semana do Meio Ambiente de Tubarão

 

Nascentes

 

Indústria de Fosfatados Catarinense: Cresce número de órgãos contra a IFC

 

Nascentes

 

Rio Fortuna debate a Fosfateira


Entrevistas
 

Energia

 

Publicação coloca em xeque a necessidade de Belo Monte

 

Internacionais

 

Cheias no Rio: OMM sugere maior coordenação com defesa civil


Opinião
 

Urbanismo & Cidades

 

Iluminação do ponte pênsil de Tubarão, qual sua opinião?

 

Legislação

 

Mariana e Anitápois o que há em comum?

 

Legislação

 

Código Florestal: processo de reforma precisa de novos rumos

 

Saúde

 

A pendenga do incinerador de Laguna-SC


Reportagens
 

Alternativas & Inovações

 

Fundação Biosfera propõe apoio internacional na recuperação da Bacia Hidrográfica do Rio Tubarão e Complexo Lagunar

 

Internacionais

 

Após tragédia, Brasil discute falta de preparo para desastres, diz "NYT"


ECOTV
 

Parceiros

 

Sustentabilidade e a sociedade para o desenvolvimeto turisco do sul de Santa Catarina

 

Política

 

Laguna adere a Ação contra a Fosfateira de Anitápolis

 

Nascentes

 

Monitoramento do Rio Tubarão da foz as nascentes

 

Audiovisuais

 

Veja AQUI a ECOT!V!


Pró-Fundação Sabor Natureza
 

Internacionais

 

Vote no Boletim ECOLÓGICO no shortyawards

 

Editorial

 

Histórico do Projeto Fundação Sabor Natureza®


RádioECO
 

Internacionais

 

Após reunião com com Dilma, Banco Mundial anuncia empréstimo ao Rio

 

Audiovisuais

 

RádioECO você grita e tem resposta!